Um grupo de parlamentares de dez partido protocolou um projeto de decreto que visa sustar um decreto aprovado pela presidente afastada Dilma Rousseff no ano passado – que dava a travestis e transexuais que trabalham no serviço público federal o direito de usar seu nome social em crachás e documentos oficiais.

Assim, pessoas que fizeram transição de sexo estariam proibidas por lei de se integrar à sociedade com seu novo nome. “Imagine uma mulher transexual muito feminina com um crachá escrito Wellington ou Gilson”, disse um comentarista numa rede social.

Chocados, transexuais e travestis se reuniram na tarde de hoje para pressionar deputados progressistas a aprovar um projeto de lei em retaliação. “Queremos nosso direito de não chamar estes deputados que criaram este projeto de seres humanos”, disse a militantes LGBT Monique Alves. “Estamos pensando ainda no que poderíamos chamá-los. Uma colega sugeriu ‘filhos da p***’, mas as trabalhadoras do sexo não merecem isso. Estamos pensando talvez em ter o direito de chamá-los de ‘torturadores’. Porque só tendo uma mente de torturador para pensar em algo assim.”

O projeto de tirar o direito dos trans é de autoria do deputado João Campos (PRB/GO), um dos líderes da bancada evangélica. Ele também criou a Emenda Constitucional – rejeitada – que daria permissão a entidades religiosas contestar a constitucionalidade das leis no STF.

O projeto está nas mãos do presidente da Casa, que deve decidir quando irá a plenário. Estes deputados também assinam o projeto: Evandro Gussi – PV/SP; Paulo Freire – PR/SP; Diego Garcia – PHS/PR; Gilberto Nascimento – PSC/SP; Flavinho – PSB/SP; Geovania de Sá – PSDB/SC; Pastor Eurico – PHS/PE; Ronaldo Nogueira; Pr. Marco Feliciano – PSC/SP; Givaldo Carimbão – PHS/AL; Professor Victório Galli – PSC/MT; Eros Biondini – PROS/MG; Carlos Andrade – PHS/RR; Missionário José Olimpio – DEM/SP; Ezequiel Teixeira – PTN/RJ; Elizeu Dionizio – PSDB/MS; Anderson Ferreira – PR/PE; Marcelo Aguiar – DEM/SP; Alan Rick – PRB/AC; Ronaldo Fonseca – PROS/DF; Marcos Rogério – DEM/RO; Sóstenes Cavalcante – DEM/RJ; Tia Eron – PRB/BA; Jony Marcos – PRB/SE; Rosangela Gomes – PRB/RJ; Carlos Gomes – PRB/RS; Silas Câmara – PRB/AM; Takayama – PSC/PR.

M Zorzanelli