Com uma semana de governo, o presidente interino Michel Temer já acumula algumas gafes em seu mandato. Do discurso de posse até a escolha do novo logo, Temer dificultou o trabalho do Sensacionalista nos últimos sete dias.

Veja algumas das gafes da primeira semana do governo Temer:

Em seu primeiro discurso, Temer engasgou e precisou de uma pastilha

Já no seu primeiro dia como presidente interino, Temer engasgou durante seu discurso de posse e precisou de duas pastilhas Tic Tac. Seria esse um presságio do que aconteceria nos próximos dias?

Michel usou bandeira da época da ditadura em logo do novo governo

A escolha do novo logo do governo trouxe o globo da bandeira do Brasil de 1961, usada durante toda ditadura militar. Na imagem, as estrelas que simbolizam os estados Acre, Tocantins, Amapá, Roraima e Rondônia ficaram de fora. O publicitário Elsinho Mouco, responsável pelo logo, afirmou que a marca ainda não estava finalizada e já foi substituída.

Falando em logo…

Um fato curioso sobre a escolha da nova identidade visual é que ela foi escolhida por Michelzinho, de 7 anos, filho de Michel e Marcela Temer. Talvez uma criança de 7 anos ainda não saiba contar exatamente quantos estados temos no nosso país, logo, a falta das cinco estrelas se justifique.

Demissão do garçom do Planalto

O garçom José Catalão, que servia café no Palácio do Planalto havia mais de oito anos, foi demitido nesta semana sob a acusação de ser “petista”. Catalão não tem vínculo partidário e se orgulhava de ter servido Temer em várias ocasiões. Enquanto nos EUA o “Mordomo da Casa Branca” ganha filme, o mordomo do Planalto perde o emprego.

Temer “turbina” currículo da esposa para justificar cargo no governo

Michel Temer exagerou um pouquinho ao falar de sua mulher, Marcela Temer, ao afirmar que ela era advogada, ustificando sua qualificação para ter um cargo na área social do governo. Na verdade Marcela nunca passou na prova da OAB, requisito básico para ser um advogado. Até aí a gente entende, né? Quem nunca colocou no currículo que possui excel avançado ou espanhol fluente?

Ausência de mulheres e negros chefiando ministérios

Talvez a mais dura crítica ao novo governo seja a falta de diversidade entre os ministros. Os ministérios de Temer são chefiados até mesmo por investigados em operações da polícia federal, mas sem mulheres e negros. O argumento para sustentar a falta de pluralidade veio com base na falta de capacitação entre os grupos citados.

Pelo menos 5 mulheres disseram não ao governo Temer

Falando em falta de mulheres, Daniela Mercury, Bruna Lombardi, Marília Gabriela, Cláudia Leitão e Eliane Costa são cinco nomes confirmados que recusaram chefiar a Secretaria da Cultura. De acordo com as assessorias, elas não quiseram fazer parte, por não acreditarem nesse governo, além de, claramente, serem escolhidas apenas para tapar o buraco da falta de diversidade.

Líder do governo Temer é investigado por tentativa de homicídio

Além de alvo na Lava Jato, ser réu em três ações penais no STF e participação no esquema de corrupção da Petrobras, o deputado federal André Moura (PSC-SE) também é investigado por tentativa de homicídio. O deputado escolhido por Temer também já foi condenado em Sergipe por improbidade administrativa. Se tudo isso não for suficiente para colocarmos Moura nessa lista, ele é uma espécie de braço-direito do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha.

Dono da frase que inspirou o slogan “Não fale em crise, trabalhe” do governo Temer está preso por tentativa de homicídio

Em seu discurso de posse, Temer citou uma frase que o inspirou, ao passar por um posto na Rodovia Castelo Branco: ”Não fale em crise, trabalhe”. A frase, no entanto, foi escrita por João Mauro de Toledo Piza, conhecido como Jaca, que está preso, condenado a oito anos e dois meses em regime fechado por tentativa de homicídio. Agora entendemos o motivo de Temer não ter dado créditos ao dono da frase, que provavelmente poderá cobrar do presidente interino os direitos autorais em 2020, quando sair da cadeia.