O professor Hélio dos Santos está feliz da vida. O motivo: pela primeira vez contratou um pacote pré-pago de telefonia celular que durou mais do que sua bateria. Oi? Ele sempre sofreu com isso. Os planos vendiam mundos e fundos, mas, na prática, chegavam ao fim muito rápido. Mais rápido do que o fim do seu salário. Mais rápido do que o fim da carne assada no almoço de domingo. Mais rápido do que a noite de domingo para segunda-feira.

Foi quando Hélio pela primeira vez ouviu sua sogra e ela aconselhou que ele fizesse um plano Oi Livre semanal, custa só dez reais e tem 75 minutos de ligações para qualquer operadora no Brasil e 400MB de internet 4G, tudo em um único chip. Assim, sogra e esposa se falam todos os dias e trocam mensagens nas redes sociais. Ele, que sempre ouve o bla bla bla pela casa, era testemunha de que ela falava a verdade.

Hélio contratou o Oi Livre e se chocou mais ainda quando o pacote de dados durou mais do que sua bateria. Um milagre, ainda mais para ele, que sempre foi ateu. Na verdade, dois milagres: os benefícios do pacote e sua sogra falar algo que preste.