Depois de Sarney e Marco Maciel, Eduardo Cunha será o próximo político a entrar para a Academia Brasileira de Letras (ABL). Segundo os imortais, sua obra online tem qualidade literária ímpar que marca uma nova literatura religiosa e política, retomando traços medievais.

Eduardo Cunha está feliz com a indicação: “Será um marco na ABL, vamos montar uma ala religiosa e já pretendemos trazer reforços como Silas Malafaia, Edir Macedo e outros grandes autores cristãos. O projeto é que até o fim de 2017 a gente, em conjunto, já tenha reescrito a Bíblia.”

Abaixo a antologia de Eduardo Cunha:

1) O autor possui e-mail de Jesus:

2) O autor é preocupado com estética:

3) O autor luta contra sodomistas e abortistas:

4) O autor é popular e dialoga com futebol:

Além dessa obra consagrada, o autor já tem sua obra apócrifa. Eduardo Cunha, muito humilde, infelizmente apagou alguns tuites seus, pois eram de qualidade de colocar inveja em qualquer Machado de Assis. Porém, como na internet nada se perde, 6 tuites, diretamente do favstar, que foram apagados por Eduardo Cunha, mas que não poderiam ficar de fora da antologia:


5) O autor é otimista e sincero:
ec_n6
6) O autor não gosta da madrugada (ou será que isso foi um elogio?):
ec_n5

7) O autor não curte beijo gay, muito menos sexo gay:
ec_n7

 

8) O autor não gosta da agenda do Mujica, deve ser daquelas que tem uma página só pro fim de semana:
ec_n8
9) O autor promove o Jesus in Rio:

ec_n9

10) O autor sofre heterofobia:
ec_n10


Por Cacofonias