Assim como a zoeira, o mau gosto desconhece limites. Depois do anúncio emocionado que Naldo Benny publicou nas redes sociais mostrando a arte do seu novo CD assinada por ninguém menos que Romero Britto, a gravadora achou que não estava ruim o suficiente a combinação. 

Aproveitando a moda de gosto duvidoso dos livros pra colorir, os empresários de Naldo optaram por lançar a capa do CD com uma versão do desenho de Britto para colorir. O processo de romerobrittização do mundo deu um grande passo com esse lançamento.

Veja como foram polêmicas outras tentativas de combinar a arte de Britto ao sucesso da época:

http://sensacionalista.uol.com.br/2015/03/20/com-62-de-rejeicao-dilma-ja-e-menos-popular-que-crocs-do-romero-britto/
http://sensacionalista.uol.com.br/2015/01/10/onu-veta-fabricacao-de-pau-de-selfie-de-romero-britto-que-toca-jorge-vercillo/