Cumprindo pena de quatro anos por desviar dinheiro da empresa na qual trabalhava, o administrador Fernando Santos está deprimido. Ele ganhou novos colegas de cela na semana passada, os empreiteiros do Lava-Jato e não se conforma com o seu golpe.

“Eu desviei 200 mil e quando vejo as cifras deles me sinto mal. Virei um pivete”, disse ele.

Fernando não entende a obsessão da imprensa em noticiar o que os companheiros comeram. “A gente come isso todo dia e muitos nem isso comem mas não sai no jornal”.

O prisioneiro tem um consolo: “sei que tudo isso é passageiro. Já já eles vão embora. Vão sair antes de mim com certeza”.