Todos os dias de manhã, o Administrador de Empresas Marcelo Bernardes, 30, manda uma mensagem de voz pelo WhatsApp para sua namorada, Lívia. Ofegante, ele conta sobre as reuniões que terá assim que terminar seu treino de esteira, bicicleta e musculação diário. Orgulhosa da disciplina do namorado, ela desliga se sentindo culpada – afinal, nem todo dia consegue acordar cedo para malhar (sim, quem se sente por baixo malha; quem se acha treina).

O que Lívia não sabe é que a mensagem de voz de Marcelo é enviada da cama, onde ele está esparramado, rodeado de farelos de Cheetos Requeijão e uma coca-cola quente da noite anterior, quando emburacou a madrugada vendo séries.

Uma pesquisa investigativa feita em sete capitais brasileiras mostrou que esta é a nova moda do WhatsApp: as falsas mensagens de voz ofegantes. “Estar na academia é um capital das pessoas. Elas se sentem melhores quando os outros pensam que elas trein…digo, malham muito”, diz Cíntia Gonzalez, coordenadora da pesquisa no Brasil.