Coisa de gênio. Depois de viciar bilhões de pessoas no mundo inteiro com uma rede social, Mark Zuckerberg, mudando apenas uma letra, lança uma nova rede social: o Faceboo. Feito especialmente para perfis de pessoas que já morreram.

A direção do Facebook percebeu que havia uma quantidade imensa de pessoas que, mesmo após morrer, tinham seu perfil mantido – e movimentado, já que essas pessoas continuam sendo marcadas por seu familiares e amigos, em posts que ganhavam curtidas e compartilhamentos.

“Para quem está no Facebook, a morte não existe”, diz John Jones, assessor da empresa para assuntos espirituais. Ainda, assim, se fazia urgente uma diferenciação. Daí a ideia do Faceboo.

Nesses perfis de pessoas mortas, a interação é diferente. Se alguém gosta do post, em vez do botão Curti, haverá o Morri! Em vez do Cutucar, haverá o Puxar o Pé. No lugar do compartilhamento, terá o Vim Te Buscar.