Nada de falta d’água. A explicação para um ciclone que foi anunciado, causou pânico na cidade e não apareceu é simples: sua origem. “Era um fenômeno tipicamente carioca. Diz “passo lá” e depois não dá as caras”, afirma o meteorologista Julio das Chagas.

Mesmo sem ter passado, o fenômeno deixou sua marca: nas maternidades, boa parte das meninas que nasceram hoje se chamavam Ciclone.

Mas há outras versões para o ocorrido. De acordo com o meteorologista Bruno Souza, o ciclone estava realmente vindo para o Rio, mas passou por Brasília e foi desviado.