O médico do SUS Francisco Coelho Figueiredo disse à nossa equipe de reportagem que atuará normalmente durante a greve geral, ou seja, faltará ao trabalho e ficará em casa. Segundo ele, protesto seria justamente se tivesse que ir trabalhar e aturar aquele monte de gente doente sujando seu jaleco branco. Doutor Figueiredo, como gosta de ser chamado, é veemente contra médicos cubanos. Ele acabou de se graduar e sonha em fazer uma extensão em Cuba.

Em apoio à greve dos médicos, milhares de estudantes de ensino fundamental e médio disseram que também irão faltar às aulas e protestarão nos shoppings. Segundo um dos estudantes, seu pai é medico e vai conseguir um atestado para que sua falta seja abonada e ele possa comparecer ao protesto pela moralização do país.