Protestos contra o Bolsa Família geraram ataques a diversas unidades da Caixa Econômica. Segundo as lideranças da manifestação: “a gente não aguenta mais ser pobre, queremos não só comida, a gente quer bebida, diversão e bolsas Victor Hugo!” O governo disse que as bolsas Victor Hugo ainda estão absurdamente caras, mas que em pouco tempo, a classe C terá acesso pelo menos às bolsas Mr. Cat.

A classe média reagiu imediatamente: “não é possível isto, pobre quer tudo. Se eles tiverem acesso às bolsas da Victor Hugo, que bolsas vamos ter que parcelar em 25 vezes para comprar e nos diferenciar? Acho um absurdo!” A ascensão da classe C é um problema muito sério no Brasil, pois sua proximidade com a classe média tem gerado constrangimentos para cidadãos que não aceitam ser confundidos com pobre: “meu filho tá em colégio particular, o da empregada também; meu filho comprou um Adidas, o da empregada também; eu comprei uma LCD nova, a empregada já tá comprando uma 3D. Isso tá um absurdo, por isso que não dá mais pra ter empregada!”

Vinícius Antunes