O movimento anti-Feliciano disse que acata Feliciano na liderança da Comissão dos Direitos Humanos desde que ele faça uma ação humanística: vá à linha de frente da possível Terceira Guerra Mundial olhar e cuidar das almas dos soldados. Segundo Geraldo Luciano, líder do movimento Unidos Venceremos, nada mais justo que um líder assembleiano olhe pelas almas orientais pagãs.

O governo da Coréia do Norte disse que não aceitará Feliciano evangelizando as tropas e que o envio dele será considerado uso de armas de destruição em massa. Feliciano relatou que acha a proposta interessante, mas que prefere dar oportunidade aos irmãos missionários da Assembléia que estão começando a caminhar na fé e precisam adquirir experiência de mundo cristão. Para isto, o pastor Josué Monteiro, representante de Feliciano, vai organizar o primeiro louvourzão gospel direto de Pyongyang que promete ser um estouro.

Vinícius Antunes