A médica, psicopata e econômica doutora Virgínia Helena Soares de Souza disse à justiça que nunca teve a intenção de matar nenhum paciente, muito pelo contrário, sua preocupação era justamente com a vida no planeta e para isso, sua meta era a economia de energia. Sendo assim, toda noite passava desligando vários aparelhos e notou que coincidentemente alguns pacientes acabavam morrendo.

Revoltada com as acusações, a doutora Virgínia disse que recorrerá ao sindicato para que seja devidamente premiada com uma foto no corredor do hospital sob a placa de Funcionária do Mês. Além disto, com as mortes acidentais, alegou ter criado milhares de empregos em funerárias e cemitérios e pretende lançar sua candidatura para vereadora em eleições futuras.

Vinícius Antunes