Uma preocupação paira na internet: como será a quarta-feira de cinzas quando as pessoas começarem a postar as fotos de carnaval e a marcar umas às outras? Pensando nisso, uma dupla de estudantes de informática desenvolveu um aplicativo que bloqueia marcação de fotos de carnaval. O aplicativo detecta o período em que a foto foi tirada e, também, se o usuário está de abadá ou fantasia e não permite a marcação. Os seus inventores alegam que a invenção manterá milhares de empregos e casamentos.

A ideia do aplicativo surgiu em 2012 quando Maurício Peixoto, um dos desenvolvedores, foi fotografado em flagrante ao aproveitar a folia com um travesti e marcado pelos amigos. Somado a ele, veio se juntar Ricardo Mariano que teve uma foto sua no bloco das piranhas amplamente divulgada na rede. Os desenvolvedores dizem que o sucesso está sendo tanto que já tem gente solicitando aplicativo para detectar cara feia, mas eles alegaram que isto faria com que 90% das fotos da rede deixassem de circular.

Danilo Dornelas e Vinícius Antunes