A onda de livros com erros de português acabou tendo um efeito colateral inesperado: Tiririca lançou sua campanha para ocupar o ministério da Educação. O deputado palhaço disse que agora se sente à vontade para pleitear a vaga. “Assim que eu conseguir escrever a carta de apresentação eu vou mandar para a Dilma”, disse ele.

Dsitribuídos pelo MEC, os livros pregam que plurais errados devem ser considerados corretos, mas adverte que a pessoa pode sofrer “preconceito linguistico” se usar frases como “Nós quer o peixe”. Os livros ganharam apoio de Smeagol, do Senhor dos Anéis. A oposição divulgou a denúncia de que os livros foram escritos por Lula.

Desiree Aparecida e Otileno Junior