A funcionária pública neozelandesa Karine McKenzie, de 35 anos, está desaparecida desde a noite de segunda-feira, quando voltava do trabalho. Segundo colegas que a acompanhavam, a um quarteirão de sua casa ela abriu a bolsa, um modelo de couro estilo sacola, para procurar suas chaves. Ao não encontrá-las, foi entrando cada vez mais na bolsa, até que sumiu. O relato é da amiga Christina Barwell, a última a vê-la: “Ela não conseguia encontrar as chaves porque a bolsa estava muito cheia. Ela chegou a tirar lá de dentro dois necessaires de maquiagem, um secador de cabelo, um vibrador e seus boletins da sétima série, mas nada da chave. Enquanto ela procurava, reparei em uma vitrine e, quando olhei de volta, Karine havia desaparecido”, conta. Ela chegou a ver o pé direito da colega e tentou puxar, mas foi em vão. “Ela foi sugada muito rapidamente”, afirma.

A polícia e os bombeiros da cidade de Aramoana, onde Karine vive com o marido e duas filhas, está tentando resgatar a vítima. Até agora já retiraram da bolsa duas carteiras de documentos, três guarda-chuvas, um quilo de papéis de bala amassados, meio quilo de recibos antigos, restos de damasco, grampos infantis, uma bolsa de baseball, um absorvente usado e um pastel de frango.