O administrador de empresas Marco Aurélio Santos, de 40 anos, foi expulso ontem de uma churrascaria rodízio no Leblon depois de ter passado uma semana comendo sem parar. Santos vinha resistindo a sair do restaurante, mas acabou sendo retirado à força por seguranças. Ele chamou a polícia e registrou queixa na delegacia dizendo que a churrascaria não informa que os clientes não podem dormir lá.

“É propaganda enganosa porque eles dizem que você pode comer o quanto quiser, não há limite de horário para o cliente ficar na churrascaria escrito em lugar nenhum”, disse ele.

Segundo Antônio Garcia, gerente do lugar, Santos chegou ao restaurante quando Adriano ainda era cogitado para a seleção e Lady Laura era viva. O cliente começou a comer até a hora do fechamento da casa, mas não quis ir embora. “Tentamos convencer, mas ele disse que só sairia à força”, afirmou. Temendo um processo, a churrascaria acabou destacando um funcionário para dormir com o cliente e não deixá-lo sozinho, mas Santos insistia que queria garçons. “Chegou uma hora que não dava mais”, disse o gerente, acrescentando que agora a churrascaria vai fixar no menu que na hora do fechamento todos os clientes devem sair.