A polêmica transferência de jogadores brasileiros para o exterior cada vez mais cedo ganhará um novo fôlego. Um grupo de investidores anunciou ontem que vai começar a comprar futuros jogadores de futebol antes mesmo do nascimento. Pesquisadores conseguiram isolar o gen da coordenação motora e selecionarão fetos a serem negociados. “Constatamos que nos jogadores o nível do gen da coordenação é muito maior do que nas pessoas comuns”, disse Pedro Fontes, que coordenou a pesquisa.

Representantes dos investidores vão procurar grávidas nas favelas e oferecer R$ 2 mil pelo passe do futuro jogador. “É evidente que a pesquisa vai indicar um potencial jogador, mas isso pode não se concretizar. Aliás, é o que vai acontecer com a maioria. É um dinheiro que já ajudará na casa, independentemente de o menino vir a ser mesmo jogador”, disse Carlos Santana, diretor da agência. Para Santana, mesmo com a quantidade de meninos não aproveitados o negócio será lucrativo. “Se de cada mil a gente acertar um vamos ganhar muito dinheiro”, disse ele.

A empresa pode ir além. Santana diz que estudos já estão avançados para identificar os espermatozóides responsáveis por esses fetos. Desta forma, os jogadores seriam contratados antes mesmo da concepção. “Já identificamos alguns espermatozóides que cabeceiam o óvulo muito bem.”, diz.