IBGE não vai mais chamar moradores do Rio de habitantes, mas de sobreviventes

A cidade também mudou o slogan de “maravilhosa” para “bonita, mas ordinária”.

Diante da grande onda de violência que assola a cidade, o IBGE resolveu tomar a drástica decisão de calcular a população não como habitantes, e sim como sobreviventes. Porém, a estimativa do número de sobreviventes no Rio ainda é indefinida, pois, temendo por suas vidas, recenseadores estão abrindo mão dos seus empregos. Em entrevista ao Sensacionalista, o funcionário Clair de Souza revela que se negou a trabalhar na capital fluminense alegando que fazer parte da estatística de desempregados é melhor do que de morto.

O nível de classe social na cidade do Rio de Janeiro também mudou. A avaliação agora será feita pela quantidade de tiros que o sobrevivente ouve na semana. Quem ouve de um a dois tiros por semana já pode ser considerado classe média alta.

Outras mudanças nas estatísticas ainda estão em andamento e poderão ser feitas no momento em que seus responsáveis conseguirem sair do túnel Rebouças que está fechado devido a um tiroteio.