O PSDB enviou um buquê de flores para Gilmar Mendes na manhã de ontem com os dizeres: “Ministros do STF tem 11. Mas mãe, só tem uma”.

Na sexta, Gilmar soltou o homem-bomba Paulo Preto, operador do PSDB que foi diretor da Dersa (empresa responsável pelas obras viárias) e que a Lava Jato acusa de ter desviado 173 milhões de reais em propina nos governos de José Serra e Geraldo Alckmin. Havia boatos de que Paulo Preto assinaria acordo de delação premiada.

Gilmar recebeu o presente com orgulho mas falou: “Tudo sou eu nessa casa. Se o Aécio recebe 2 milhões da JBS e o Janot pede para prender, eu que tenho que resolver. Se a chapa do Temer vai cair sou eu lá no TSE segurando as pontas. Se eu morrer, vocês não duram um dia!”

Depois de soltar Paulo Preto, Gilmar lembrou a ele de não se esquecer do casaquinho porque a noite estava fria.