Cresce o número de pessoas com torcicolo após tentar ler conversas no celular do parceiro

A Associação Médica Brasileira se reúne na próxima sexta-feira para discutir os crescentes casos de pacientes com torcicolo, um mal que vem atingindo três em cada quatro brasileiros que tentaram, por mais de uma hora, bisbilhotar discretamente as conversas no WhatsApp de seus parceiros.

“As pessoas tentam fingir que não se importam que seus parceiros conversem com outras pessoas, mas passam horas tentando ler discretamente o que os parceiros falam no WhatsApp. Isso tem causado graves problemas de saúde e uma provável epidemia” explicou o Dr. Florentino de Araujo Cardoso Filho, presidente da associação.

O tratamento inicial conta com relaxantes musculares e um encaminhamento para psicólogos, com o intuito de fazer a pessoa refletir sobre suas inseguranças e o motivo pelo qual ela está mantendo um relacionamento com alguém em quem não confia.