Temer recebe título de ‘Trapalhão honorário’ das mãos de Renato Aragão

O presidente Michel Temer recebeu ontem das mãos do cineasta Renato Aragão o título de “Trapalhão Honorário” em homenagem à forma como vem conduzindo o país desde o impeachment de Dilma Rousseff. 

No discurso, o eterno Didi lembrou o ministério de Temer, que teve oito dos escolhidos respondendo a inquéritos no STF, incluindo aí seu braço direito Geddel Vieira Lima, demitido depois de pressionar o ministro da Cultura para liberar a construção de um arranha-céu na orla de Salvador e cuja ficha de entrada no folclore nacional foi a descoberta de um apartamento com R$ 51 milhões em dinheiro vivo.  

Também foi citado o fato de Michelzinho, de oito anos, ser o “designer informal” da logomarca do governo federal. A frase de Temer sobre o papel da mulher de saber o preço das coisas no supermercado também não foi esquecida. O fato de Temer ter desistido de se mudar do palácio do Jaburu para o Alvorada, moradia oficial do presidente em exercício, por medo de fantasmas, também mereceu menção. 

Alguns dos presentes já dormitavam quando Renato lembrou da gravação feita por Joesley Batista em encontro perto da meia noite e fora da agenda com o mandatário do país, em que Temer é ouvido elogiando mesadas ao judiciário e dizendo que “tem que manter isso aí” sobre o cala-boca a Eduardo Cunha na cadeia. 

No fim, Dilma Rousseff invadiu o palco com um extintor de incêndio.