Jornais de SP virão com lupa de brinde para ler denúncias de corrupção contra o PSDB

Marcelo Odebrecht saiu da cadeia hoje para prisão domiciliar e aproveitou os holofotes para fazer mais uma denúncia: a de que opera em São Paulo um esquema de corrupção que teria durado entre 2004 e 2015, anos em que o estado foi governado por Geraldo Alckmin, José Serra e Alberto Goldman, todos do PSDB (Cláudio Lembo, do PFL, assumiu quando Alckmin renunciou para disputar a presidência em 2006).

O esquema do Rodoanel teria envolvido 22 empresas e, junto ao do metrô, movimentou R$ 10 bilhões dos cofres públicos. Não é a primeira vez que um delator falar sobre corrupção em obras do governo tucano sem que haja maiores consequências para os acusados.

Os jornais do estado, que costumam dar uma pequena manchete no dia em que a notícia sai e depois escreve uma ou duas reportagens em fonte microscópica nos dias seguintes, anunciaram que trarão uma lupa de brinde para o leitor interessado em saber das acusações contra o PSDB.

As lupas serão pagas por uma iniciativa público/privada em que o público pagará pelas lupas e a iniciativa privada embolsará a grana.