O deputado e pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro nomeou sua atual mulher, Michelle, para exercer cargo em seu gabinete em 2007 e só a exonerou depois que o STF vedou o nepotismo. Além disso, Bolsonaro e seus filhos empregaram nos últimos 20 anos uma de suas ex-mulheres, Ana Cristina, a irmã dela, Andrea, e o pai delas, José Cândido Procópio.

Bolsonaro se defendeu e afirmou que só contratou familiares porque luta em favor da família. “Como alguém que tem como proposta defender a família deixaria algum familiar seu sem um bom emprego?”, disse o deputado.

Após empregar três filhos, sua mulher e até sua ex-mulher, junto com uma irmã e o pai dela, Bolsonaro já gerou mais empregos que o governo Temer.