Trabalhador brasileiro esconde bilhete de socorro em produto exportado para a China

Entrou em vigor neste sábado (11) a reforma trabalhista, aprovada em julho deste ano. Algumas mudanças trouxeram preocupações a trabalhadores  de todo o Brasil.

Convenções coletivas poderão prevalecer sobre a legislação. A jornada diária poderá ser de 12 horas com 36 horas de descanso. O pagamento do piso ou salário mínimo deixa de ser obrigatório no cálculo da remuneração por produtividade. O trabalhador poderá ser pago por período trabalhado, recebendo em horas ou diária, tendo direito a férias, FGTS, previdência e décimo terceiro salário proporcionais. Passa a prever também o direito de as empresas demandarem reparação por danos morais.

Nos terceiro dia após a reforma trabalhista entrar em vigor, um trabalhador brasileiro escondeu um bilhete de socorro em um produto que foi enviado a China.

Dizia no bilhete: “Primeiramente, fora Temer. Segundamente, me ajude! Trabalho como escravo no Brasil, o país de onde esse produto foi enviado para a China. Entendo que os direitos trabalhistas do seu país são terríveis, mas estou desesperado. Preciso de ajuda urgente”.

O governo alega que o bilhete só pode ter sido escrito por algum trabalhador preguiçoso e solicitou que o patrão aumente a carga horária do funcionário para 23,5h por dia, com 30 min para o almoço.

Por outro lado, alguns brasileiros desempregados afirmam que se sentem mais felizes após a reforma. “Agora vejo que não estou tão mal sem ter emprego”, disse Rogério Nascimento, de 28 anos. “Acho que vou até desistir de procurar emprego e plantar minha própria comida que vale mais a pena”, disse.