Temer e Congresso têm 200 milhões de escravos, diz OMT

A Organização Mundial do Trabalho emitiu parecer hoje avaliando que o presidente Temer, a Câmara e o Senado mantém 200 milhões de pessoas em situação análoga à escravidão. 

O parecer acompanha a notícia de que, para agradar a bancada ruralista da Câmara, Temer relaxou completamente as leis que puniam o trabalho escravo. Agora, só pode ser considerado escravo o trabalhador que estiver em cárcere privado. O fiscal também não pode mais contar apenas com o próprio testemunho na hora da denúncia: precisa ter, durante o flagrante, um policial militar. 

“De acordo com estas regras, pode-se dizer então que Temer e o Congresso estão mantendo todo o país em condições degradantes e sem possibilidade de fuga, porque o STF não pode agir”, disse o texto. 

“É cárcere privado porque ninguém tem para onde fugir. Junte a isso as chibatadas da nova lei trabalhista, o excesso de violência física nas ruas e você completa o quadro de escravidão”, continua. “São 200 milhões de pessoas obrigadas a trabalhar em péssimas condições e dar seu dinheiro para os patrões na forma de salários, mordomias e desvios de verba”.

M Zorzanelli