Antidoping de Nuzman deu positivo para propina

A notícia de que houve compra de votos e propina envolvida na escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas chocou o total de zero brasileiros. Na manhã de hoje, agentes da Polícia Federal prenderam Carlos Arthur Nuzman, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e também Leonardo Gryner, diretor geral  do comitê da Rio 2016 e braço direito de Nuzman no COB.

De acordo com a Operação Unfair Play, Nuzman obstruiu as investigações sobre ocultação patrimonial. Uma chave de cofre de um banco suiço, onde foram escondidos 16kg em barras de ouro, equivalentes a R$ 2.072.960,00 e um crescimento de 457% no patrimônio de Nuzman são claros e apontam positivo para propina no teste antidoping.

A PF distribuirá tornozeleiras de ouro, prata e bronze para quem roubou mais na Olimpíada do Rio.