Petista faz hipnose para esquecer que Geddel foi ministro de Lula por três anos

A Polícia Federal encontrou, nesta terça-feira, uma grande quantidade de dinheiro guardada em malas e caixas de papelão em um apartamento que seria utilizado por Geddel Vieira Lima. A ação faz parte das investigações sobre fraudes na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal. Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco entre 2011 e 2013, durante o governo de Dilma Rousseff. No governo Temer, ele foi ministro da Secretaria de Governo. 

Geddel também foi ministro da Integração Nacional durante o segundo mandado do governo Lula, ocupando o cargo durante três anos até sair para disputar eleições a governador da Bahia. Uma auditoria realizada pelo TCU afirmou que, durante a gestão de Geddel, o estado da Bahia foi favorecido em relação à liberação de verbas destinadas a ações de prevenção a catástrofes. Entre 2004 e 2009, a Bahia recebeu 37,25% do total dos recursos.

O petista Marcos Chagas de Araújo, de 37 anos, resolveu iniciar um tratamento com hipnose para esquecer que Geddel foi ministro de Lula.

“Quando vi a notícia fiquei feliz por ver um ex-ministro do governo golpista do Temer sendo mais uma vez desmoralizado ao ser flagrado cometendo corrupção”, disse o petista. “Mas quando lembrei que ele passou pelos governos Lula e Dilma comecei a chorar sem parar e por isso decidi buscar um tratamento para esquecer esse fato terrível”, desabafou.

Com ministros corruptos repetidos nos últimos governos, militantes petistas e anti-petistas já estão calculando o quanto foi roubado por cada ministro durante cada governo, considerando a inflação de cada período, e quanto tempo cada ministro corrupto ficou em cada governo, incluindo no cálculo os feriados e anos bissextos. Tudo para acusar o governo defendido pelo outro de mais corrupto.