Milhares de presos aguardando julgamento citam Lula nos processos para acelerar a Justiça

O processo que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e meio de prisão no caso do tríplex chegou em tempo recorde ao Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre, levando apenas 42 dias desde a sentença de Moro.

No Brasil, 40% dos presidiários estão na cadeia sem julgamento. Essa espera deveria durar poucos meses, mas acaba sendo uma espera de anos. Em muitos casos, quando finalmente a pessoa é julgada, pega uma pena menor do que o tempo que ficou aguardando o julgamento ou até mesmo é inocentada.

Ao observarem a rapidez do andamento do julgamento de Lula, milhares de presos que aguardam julgamento pela Justiça resolveram envolver Lula em seus processos.

“Não estou inventando agora que Lula estava comigo naquela noite. É que eu bati a cabeça na época e demorei para lembrar de muita coisa”, disse Carlos dos Santos, que é acusado de espancar um homem em uma briga na rua e alega ter agido em legítima defesa.

“Podem fazer o exame de DNA, o pai da criança é o Lula não sou eu”, disse o mecânico Rafael Nascimento, preso por não pagar pensão alimentícia do filho ao qual nega a paternidade.

Uma iniciativa popular pretende citar o nome de Lula em todos os processos jurídicos do país e resolver de uma vez o problema da morosidade da Justiça brasileira.