Lançada primeira clínica de reabilitação para viciados em vídeo de limpeza de pisos

Uma clínica precisou ser criada para combater um sério problema que tem se alastrado rapidamente por toda a humanidade e já pode ser considerado uma epidemia: o vício por vídeos de limpeza de pisos que são postados diariamente no Facebook.

Começou como um simples prazer ao assistir algo sujo sendo limpo, mas hoje se tornou um vício e a necessidade por mais e mais vídeos de limpeza de pisos tem transformado a rotina de milhares de pessoas por todo o mundo e já causa uma instabilidade econômica e política em todos os continentes.

Muitas pessoas largaram suas vidas, suas casas e seus trabalhos. Líderes pararam de governar, a produção mundial caiu quase pela metade e a economia entrou em recessão. O ano é 2017 e as pessoas gastam cerca de 89% dos seus dias assistindo a esses vídeos na internet. A cínica criada pela Organização das Nações Unidas promete manter os usuários limpos, no entanto, ainda não conseguiu pensar em outro termo que não pareça um trocadilho infame.

A ONU está trabalhando para impedir que este tipo de conteúdo seja compartilhado e os vídeos já foram proibidos em 24 países. O uso da deep web, no entanto, aumentou 53% e parece não existir outra solução além da internação.

“Eu achava gostoso de assistir, agora eu preciso assistir. Não consigo sair da frente do computador, perdi meu emprego, minha mulher me largou e levou meus filhos embora. Aqui esse conteúdo já foi proibido e eu estou agindo fora da lei para sustentar meu vício. Não aguento mais” conta o primeiro paciente a entrar para a clínica, que por vontade própria, implorou por uma internação.

Assista por sua conta e risco: