No Dia do Emoji, emojis de Android fazem terapia para tentar superar aparência

Todo mundo adora os Emojis, tanto que o dia 17/07 foi instituído o Dia Internacional do Emoji. Os pequenos ícones, desenvolvidos no Japão na década de 90 para facilitar as comunicações via celular, têm sua versão mais conhecida no Ocidente através dos smartphones da Apple: desenhos fofos, cheios de cor e detalhes que dominaram a mídia. Já pararam até em propaganda de banco.

Os Emojis do teclado dos celulares Android, no entanto, vivem outra realidade. Em uma entrevista exclusiva para o Sensacionalista, alguns emojis do sistema operacional Android contaram as dificuldades que sofrem e trazem alguns alertas sobre a opressão estética sofrida por eles.

Considerados feios e mal formados, sofrem preconceito e são desvalorizados toda vez que aparecem. “Uma vez uma pessoa me mandou para outra de manhã para passar alegria e na verdade acabou com a amizade”, disse o Emoji de Android que simboliza duas mãos rezando. “Falou que eu parecia aquele monstro, o Jabba do Star Wars, e que eu acabei com o dia dela.”

“Crianças têm pavor da gente. Acham que somos monstro deformados”, disse o Emoji de sorriso, porta-voz do grupo. “Já teve Emoji nosso que gastou tudo o que tinha em cirurgia para ficar mais parecido com os Emojis de iPhone e acabou parecendo um maracujá de gaveta”, afirmou. “Gastamos todo mês mais de dez mil em terapia, psicanálise, terapia cognitiva, dinâmica de grupo, tudo para tentar melhorar nossa autoestima. Mas não tem funcionado. Acho que só nascendo de novo…”