Jovem de humanas não entende como corridas de R$ 15 no Uber podem somar mil reais no cartão

Um mistério tem intrigado Ricardo, um jovem morador da zona norte do Rio de Janeiro. O estudante de cinema travou uma batalha contra a Uber nos últimos dias e sua história chegou até o Sensacionalista. Ricardo afirma estar sendo roubado pela empresa e diz que pode provar.

De acordo com Ricardo, que possui alguns amigos (estudantes de história da arte, música e teatro) como testemunhas, ele pede muitos carros da Uber semanalmente, mas as corridas nunca passam de R$ 15, logo, a fatura de mais de mil reais que chegou para ele este mês não faz sentido.

“Quando comecei a usar a Uber era só alegria, pedia os carros e os valores eram infinitamente mais baixos que os valores dos táxis que eu costumava pedir. Até que, no fim do mês, uma conta de mais de mil reais chegou aqui em casa e eu não entendi nada!” disse.

Acontece que, ao ver os baixos valores das corridas, Ricardo começou a andar apenas de Uber. De acordo com o aplicativo de Ricardo, ele solicitou 73 corridas no último mês.

“Eu pedia Uber para ir à padaria, pedia para meus amigos, pedia até para a vizinha, quando ela precisava levar o cachorro à pet shop. As corridas giram em torno de R$ 10 e R$ 15, não faz sentido uma conta de mil!” desabafa.

A fim de resolver o problema, a Uber entrou em contato com Ricardo e lhe enviou uma calculadora. Ricardo, de humanas, usou a calculadora de cabeça para baixo para escrever as palavras “SEIO” e “HELLO”.

raciocc3adnio Seio na calculadora