o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci está negociando os termos finais de sua delação premiada. Palocci encaminhou ontem a sua lista de pedidos para falar o que sabe. Entre as exigências, o petista quer Spotify premium, não receber mais ligações de Moacir Franco e uma torneirinha de Nutella.

Palocci pediu ainda para cumprir pena em prisão domiciliar. A expectativa é que ele entregue principalmente o ex-presidente Lula e que a delação atinja o setor bancário. Nomes de bancos que poderiam ser afetados em caso de delação já começam a circular na imprensa.

Palocci tem pressa. Ele sabe que se demorar muito a falar pode ser que nem exista mais Brasil quando ele decidir contar o que sabe. A PF não tem assim tantas esperanças sobre a delação de Palocci. Afinal, todo mundo sabe que ele sempre foi meio língua presa.