Mãe negra e pobre presa em Bangu pede a Adriana Anselmo que dê uma olhada em seus filhos

Presa em Bangu aguardando julgamento, a dona de casa Silvana Pereira, de 32 anos, foi uma das únicas brasileiras a comemorar a saída de Adriana Ancelmo da cadeia. As duas acabaram ficando amigas no tempo em que a mulher de Sérgio Cabral passou no presídio. Libertada na semana passada por causa de seus filhos, de 11 e 14 anos, Adriana aguardará o julgamento fora da cela.

De acordo com a decisão da Justiça, Adriana, que ainda não tem condenação, ficará em prisão domiciliar, sem contato com internet ou telefone. A Justiça entendeu que os filhos dela não podem ser penalizados, já que a mãe ainda não foi julgada. O caso é o mesmo de Silvana, que continua presa por roubar meio quilo de carne da casa na qual trabalhava, no Leblon.

“Eu não me revolto não. Não tenho advogado, não sou rica, ela tem. Então isso pra mim é meio normal. Mas eu pedi que ela desse uma olhada lá nas crianças. Não sei se ela vai cumprir, né? Vamo ver”, disse Silvana. “Tomara que ela mande notícias”.