Ciência registra primeiro caso de Q.I. negativo

A revista Nature publicou artigo nesta quarta-feira com uma novidade histórica: cientistas registraram, pela primeira vez, a ocorrência de um Q.I. (quociente de inteligência) negativo. A notícia foi ao ar em primeira mão no conglomerado de comunicação formado pelo Jornal Metró, TV Maresol, TV Bugres e Jornal Município.

O Q.I. é um teste que mede a capacidade intelectual do indivíduo. Um Q.I. de 100 é considerado mediano. Acima disso ou abaixo disso, a pessoa é considerada de raciocínio lento ou superdotada. O Q.I. mais baixo que já havia sido registrado até o momento havia sido de 5 pontos, mas porque, por uma distração, o teste havia sido aplicado em uma pessoa morta.

Os cientistas da Universidade de Tranny, no entanto, se surpreenderam com um caso brasileiro. Após ver este tweet do ator pornô aposentado e técnico federal do ministério da Educação Alexandre Frota, os pesquisadores finalmente provaram a tese de que o Q.I. pode ser negativo.

Screen Shot 2017-02-15 at 1.09.12 PM

“Nem precisa testar”, disse o cientista comportamental John Holmes. “Eu conheço pouco da política brasileira, mas rapidamente me informei e descobri que apenas alguém com a inteligência negativa, ou seja, numa escala de desenvolvimento humano, a inteligência de uma pessoa que ainda não nasceu, poderia dizer isso.”

Os cientistas não sabem explicar qual seria a razão para isso. “Ficamos sabendo que ele luta artes marciais violentas, então talvez as pancadas na cabeça tenham levado a isso. Ficamos sabendo também que durante um período da carreira ele levou fortes boladas no queixo e cabeçadas no céu da boca, mas isso não faz mal, muito pelo contrário, então descartamos.”

M Zorzanelli

Sensacionalista em vídeo

Inscreva-se no nosso canal e não perca mais nenhum vídeo