Calor extremo já fez mais gente parar de fumar do que fotos em embalagem de cigarro

O ar seco e as temperaturas elevadas em quase todo o Brasil podem ter também um lado positivo. De acordo com estudos feitos na FRITa Brasil, a Federação Regional do Índice de Tabaco, a onda de calor causou uma queda brusca no número de fumantes, já que a lei proíbe fumar dentro de estabelecimentos comerciais, locais que possuem ar-condicionado.

“As pessoas são obrigadas a ir para a rua fumar e sentir o breve prazer de fumar não é maior que o desprazer de queimar todas as células do seu corpo. E isso foi sentido pela indústria do tabaco” conta um representante de uma famosa marca de cigarros, no Rio de Janeiro.

No entanto, deixar de fumar deveria vir acompanhado de exercícios físicos e isso também não está acontecendo. De acordo com um levantamento do Ministério da Saúde, o número de sedentários cresceu, o de fumantes caiu e a conta de luz disparou astronomicamente.

Pensando numa solução, a nova aposta para o mercado tabagista é apresentar seus novos cubos de gelo de nicotina, com previsão de lançamento para março de 2017.

Comente com Facebook