O administrador de empresas Aurélio Fernandes não acreditou quando o carro do Uber chegou ao seu prédio hoje pela manhã em São Paulo. Ao volante estava ninguém menos do que a presidente afastada Dilma Rousseff.

“Entrei no carro e nem acreditei. Achei que fosse algum sósia, alguém fazendo uma pegadinha, sei lá. Então ela começou a dizer que clicou num anúncio do Facebook que prometia emprego no Uber e resolveu tentar”, disse o cliente.

Durante o trajeto, a presidente afastada reclamou dos motoristas. Ao levar uma fechada, ela botou a cabeça pra fora e ficou gritando “É gole! É golpe!”.

Ao fim da corrida, em vez de pagar R$ 25, o preço usual, o passageiro viu que a corrida custava R$ 30. Sim, com Dilma dirigindo, a inflação chegou ao Uber.

Dilma não ofereceu nada ao passageiro. “Ela disse que o Temer cortou tudo, até a água”.