O presidente interino Michel Temer escreve poesias nas horas vagas. Mas, com a divulgação de que seu filho Michelzinho escolheu o símbolo do governo, surge a suspeita de que foi ele também que escreveu o livro “Anônima intimidade”.
Analisamos aqui a obra. Tire suas conclusões. Afinal, quem escreveu? Temer ou Michelzinho?

Passou
Nunca ousei
O quanto poderia ousar
Agora é tarde!

Ser
Sou, hoje,
Aquele
Que quis ser
E não foi.
Se não fosse
O que fui
Não seria
O que hoje
Sou.

Trajetória
Se eu pudesse
Não continuaria

Procura II
Ando à procura
De mim.
Só encontro outros
Que, em mim,
Ocuparam o meu lugar.

Alegria
É possível
Com alegria
Fazer poesia?

Fuga
Está
Cada vez mais difícil
Fugir de mim!

Saber
Eu não sabia
Juro que não sabia

Pensamento
Um homem sem causa
Nada causa

Radicalismo
Não, nunca mais!

Nota da redação: essa última é só isso mesmo, uma frase