Em resposta à estreia do militante Kim Kataguiri como colunista na Folha de S. Paulo, estudantes do Brasil inteiro abriram mão de suas vagas conquistadas pelo SISU para o curso de jornalismo. Os aprovados se recusaram a ter Kataguiri como colega de profissão.

Esta tendência, em vez de preocupar, animou os reitores das faculdades com cursos de jornalismo. “Se os jornais querem isso, vamos já no primeiro período ensinar os alunos a passar vergonha na internet falando atrocidades e sendo mal educados. É uma forma de chamar a atenção dos grandes veículos e garantir um emprego sem precisar de formação, leitura, experiência e cidadania”, disse um reitor.

Como a coluna de Kataguiri será publicada apenas na internet, especialistas veem a medida como estratégia para aumentar as vendas dos jornais impressos.

Fontes disseram que o clima na redação é de tensão e que Gregório Duvivier já planeja mandar indireta para o colega em forma de poesia em sua coluna dessa semana. Kim, por sua vez, colou um papel “me chute” nas costas de Gregório, enquanto o mesmo estava distraído na impressora.

A Folha recomenda que as pessoas desativem seus anti-vírus ao acessar a coluna, pois o programa pode detectá-la como uma ameaça à sanidade mental.