O designer paulistano Tom Marchiori deu entrada no Hospital das Clínicas no início da tarde após desmaiar na agência de publicidade em que trabalha no bairro da Vila Mariana. Segundo colegas, Tom teve um ataque de nervos antes de perder a consciência.

Tom navegava na internet após o almoço quando viu a notícia de que a animação brasileira “O Menino e o Mundo” do diretor Alê Abreu. Para os colegas, a razão é porque Tom, que trabalha como designer há 15 anos e tem sua mesa de trabalho cheia de brinquedos representando personagens de animações obscuras da Europa e do Japão, não conhecia o trabalho de Alê Abreu.

“Ele tinha mais de vinte bonequinhos do Studio Ghibli, sempre sugere que a gente use animação nos trabalho publicitários, levava muito a sério. Para ele, Pixar era porcaria, dizia que era muito mainstream”, diz um colega. “Como todos nós, fomos pegos de surpresa, não fazíamos ideia de que este filme existia e que era tão bem cotado a ponto de ser indicado ao Oscar.”

O Brasil, apesar de ter algumas indicações no currículo, nunca ganhou um Oscar. Isso parece ter agravado a intensidade do ataque do publicitário. “Se perguntarem de mim, digam que eu vi o filme e achei uma porcaria”, teriam sido suas últimas palavras antes de desmaiar.

M Zorzanelli