A proibição do Uber no Brasil animou profissionais que se sentiram prejudicados com o progresso. Estão sendo organizadas passeatas e atos em todo o país pedindo o fim de objetos que tiraram empregos de muitas categorias. O principal alvo, no momento, é o computador. Já está acertada para o próximo sábado uma grande manifestação de datilógrafos pedindo o fim do que eles chamam de “máquina do mal”.

Fabricantes de máquinas digitais também querem acabar com os smartphones, já que eles dizimaram esse negócio. O grupo ganhou a adesão dos fotógrafos lambe-lambe, que querem voltar às praças para fazer retratos 3×4.

O argumento principal é que o computador é responsável por grandes crimes, pedofilia, golpes e sites de fãs de música sertaneja.
Com Dino Cantelli