O governo avalia propor ao Congresso a criação de um imposto federal para taxar os desvios e propinas adotados pelos políticos e empresas brasileiras. A medida seria uma forma de ampliar a base de tributação e atingir um mercado que movimenta bilhões todos os anos sem qualquer tipo de tributação.

O governo acredita que com a criação do imposto sobre propina (IPROP) será possível retrair a inflação em até 3 pontos percentuais gerando a diminuição da meta prevista para 2015.

A oposição entretanto, acredita que com a criação do IPROP os valores das propinas irão aumentar e que é o contribuinte que vai arcar com esta diferença.