Depois de presentear o ex-presidente Lula com um sobrinho que não existe e dar à criança uma festa de aniversário paga de forma suspeita que jamais aconteceu, a revista Veja Brasília teve que se desculpar. Mas isso não quer dizer que sua apuração sobrenatural vá acabar por aí.

Segundo a coluna Radar, a revista volta à carga na próxima edição, escancarando a intimidade de outro enfant terrible da família Silva. Desta vez, um sobrinho de Lula teria recebido propina de 2 bilhões de vidas no Candy Crush durante as negociações de compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Ainda segundo a revista, a assinatura do parecer técnico que permitiu a compra de Pasadena era da criança de seis anos. De acordo com um cálculo feito pela coluna, este número de vidas seria capaz de equilibrar a balança comercial do Brasil, elevar o PIB a 7% e, de quebra, entreter a população que depende do Bolsa Família, evitando assim que façam mais filhos.

M Zorzanelli