O governo de São Paulo anunciou, no pacote de medidas para lidar com a crise hídrica, a criação de uma ala dedicada à água no Museu da Cidade de São Paulo. A ala, intitulada “Foi um Rio que Passou em Nossas Vidas” tem a exposição de objetos como chuveiros, torneiras e baldes.

“O objetivo é preservar a memória. As crianças que nascem hoje não sabem mais para que estes objetos servem”, disse o curador da exposição, Haroldo Secco. “Para uma criança nascida nos anos 2000 em São Paulo, um balde cheio de água é tão impossível de explicar como um LP da Tetê Espíndola ou uma máquina de Telex”.

M Zorzanelli